quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Senhor, renasca em mim!



E trazem ouro, insenso e mirra
Pra festejar o novo rei
Que tem poder e majestade
Que vem do céu, que é de Deus
Que vai sofrer, que vai morrer
E que nos libertará...

(Ouro, Insenso E Mirra - Padre Zezinho)

...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Sinceramente,


Pra ser sincero
Não espero que você
Minta!
Não se sinta capaz
De enganar
Quem não engana
A si mesmo...

Pra ser sincero
Não espero de você
Mais do que educação (...)
Aperto de mãos
Apenas bons amigos...

Pra ser sincero
Não espero que você
Me perdoe
Por ter perdido a calma

Um dia desses
Num desses
Encontros casuais
Talvez eu diga:
-Meu amigo
Pra ser sincero
Prazer em vê-lo!
Até mais!...


(Fragmentos de Pra Ser Sincero - Engenheiros do Hawaii)



☆☆☆Js☆☆☆

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Rasgada!

E eu, que só queria lhe ofertar essas flores,
Trago um coração rasgado. 
Esse nosso silêncio manjado e o desejo revirado.
Mais uma dia chega em seu vendaval de dores,
A vida feito um véu e na minha boca, o gosto amargo do fel.
E há apenas o cansaço
De um amor acabado.


Mais que isso - Ana Carolina e Chico César

domingo, 7 de novembro de 2010

Sim... eu sinto.

.

"Sinto a falta dele
como se me faltasse um dente na frente:
excrucitante"

(Clarice Lispector)

domingo, 17 de outubro de 2010

Desassossego...


"Ah, mas como eu desejaria lançar ao menos numa alma alguma coisa de veneno, de desassossego e de inquietação. Isso consolarme-ia um pouco da nulidade de acção em que vivo. Perverter seria o fim da minha vida. Mas vibra alguma alma com as minhas palavras? Ouve-as alguém que não só eu?"

Do Livro do Desassossego - Bernardo Soares (heterônimo de Fernando Pessoa)


Tô numa vibe de "Fernando Pessoa"... Então, haverão outros como este.
Amor, saudades!


ღღ

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Qual é o remédio doutor?

Chega uma hora na vida da gente que olhamos à nossa volta e estamos numa sinuca de bico. Tá tudo uma inhaca total... É, isso acontece.
Aí nego, das duas uma: ou vc se entrega ou vc reage. E pronto, não exite meio termo.
Porque ou você é quente, ou você é frio, não dá pra ser morninho a vida toda.
Isso pode parecer mais um dos meu clichês, mas não é.

Ok. Vou ser mais clara:
Vida social estacionada. Vida profissional congelada. E meu cupido saiu de férias (há séculos). Vou ficar me lamentando, sofrendo e com aquele mau humor que já faz parte do que eu sou?
NÃO.
Então o que vou fazer? Qual é a cura?
A cura é o inverso. O inverso da dor: a felicidade. Do sofrimento: a superação.

Então, vesti meu melhor sorriso e saí pra rua, me achando a última coca-cola do deserto (Aff!! Fala sério?!). E guardei naquela gaveta (que está emperrada, graças a Deus!) tudo o que me aflige.

E quer saber?

- Amor! Vou ser feliz e já volto. Ou não.



Bjodeixaqueeuteligo!
:)

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Ah! Essa nossa amizade! Dá uma saudade... rs!

Aí ontem eu recebi um e-mail que tinha um gostinho bom de saudade.
Saudade da adolescência e de tudo que a gente apronta nessa época, sem medo de ser feliz.
Dos amores platonicamente impossíveis. (Ah, tá. Isso ainda persiste na vida adulta, mas dane-se.). As caminhadas intermináveis e, depois, pão de queijo, lanche, sorvete... rsrs! Ir no antigo Cine Cacique na sessão de R$ 1,00... Da Persê, das festas temáticas... Dos cadernos de perguntas, dos diários compartilhados (péra aí, blog não é isso?). Segredos, tramóias (muitas!) e sempre mta história pra contar...

E me lembro que numa dessas caminhadas, passamos na videolocadora aqui do bairro (aha! faz tempo, eu disse?) e locamos um filme que nos marcou pacas. Decoramos as falas, a música, os poemas... Acho que rolava até aqueles suspiros de menina, tipo "ai, como eu queria!"... Rsrs!
Tempo bom d+. Dá mesmo uma saudade imensa.
O filme tinha no papel de galã, o tbm saudoso Heath Ledger... Dá só uma olhada:






Miga Mari, que diga... temos mto que contar! rs!!!!


Bjo, bjo!

domingo, 12 de setembro de 2010

"Nesta terra de gigantes..."


Um povo que não luta por seus direitos, não é digno deles!





Acorda Brasil!!!!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Momento Remember (atendendo a pedidos)

Aí estávamos batendo aquele papo no escritório. Contando peripécias, anedotas e todo tipo de palhaçada aprontada possível.
E chegamos ao tópico "coisas que já fiz enquanto estava bêbada". Só as piores. Só as mais esdrúxulas. 


Que fique claro: nunca fiquei exatamente bêbada. Mas já estive várias vezes num estado, digamos, de "cômica embriaguez" (oh!)...

E eis que eu me lembro de um episódio épico. Hilário talvez. Hoje eu rio, mas no dia seguinte ao acontecido eu queria mais é morrer ou nunca mais na vida ter que olhar na cara da "razão do meu afeto".
Sim, a cena envolve ele. Sempre. Quando não, amor?

Galera reunida num barzinho de videokê aqui da cidade e uma amiga diz: “Ju, vou inscrever vc”. E eu: “Nem pensar!!!! Morro de vergonha, to meio belda e tals”... geral insistiu e eu (mais louca que o Batman): “Só canto se for Evidências”.
Fodeu. Tive que cantar...
Como um cordeiro pro abate, subi no palco, respirei fundo, mirei o nego o melhor que pude e mandei:

“E nessa loucura de dizer
Que não te quero
Vou negando as aparências,
Disfarçando as evidências
Mas pra que viver fingindo
Se eu não posso enganar
Meu coração
Eu sei que te amo,
Chega de mentiras
De negar o meu desejo
Eu te quero mais que tudo (...)”


Me lembro que teve momentos em que apontei... Cantei praticamente a canção inteira olhando pro impiastro.
Meu, que merda.
Só serviu pra ser o episódio mais trash num caráter ébrio de ser... Aff!





O vídeo ta numa versão mais atual/animada. Pra apagar a memoria.
A minha, claro....


Bejomeligasequiser!
o/’

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O que mais posso pedir?

Por favor não vá ainda
Espera anoitecer
A noite é linda
Me espera adormecer
Não vá ainda
Não, não vá ainda...


Não Vá Ainda - Zélia Duncan






terça-feira, 24 de agosto de 2010

Aguenta coração!!!

Tudo o q vou relatar neste post merecia um post próprio. Mas o tempo passou pra alguns e então vamos juntar...
Bom, com esse lance de trabalhar horrores, minha vida social estava se resumindo ao trabalho, os compromissos da Igreja e as reuniões da Gijuca. Não dá pra ser sã assim. rs!

Mas como nem tudo são pedras, houveram fatos que encheram meu coração de coisa boa (I Thank God!!). Então posso dizer que Agosto não foi um mês assim tão trash, visto que:
* Reatei uma amizade que julgava perdida pra sempre. E isso, sem dúvidas, tem me feito muitíssimo bem.
* Estou finalmente praticando o desapego em relação à Razão do Meu Afeto. (Ok, nem tá funcionando como deveria, mas tô empenhada!).
* Finalmente meu Grupo de Jovens conseguiu (vai soar estranho) não ganhar uma Gijuca. Então em 2011, iremos organizá-la, depois de um jejum de 13 anos. Aleluia!
* Concluímos mais uma turma de Crisma.
* Comprei um vestido manequim 44 - pasmei benhê!!
* E a melhor notícias de todas - neste mês, rs!: Enfim, chegou meu registro do MTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ah, que delícia! Abrir minha CTPS e ler: "registrada como Artista, na função de Atriz". Um sonho realizado. Só falta "correr pro abraço".

Juro que achei que não iria sobreviver a este mês. Muita correria no serviço, muito stress, pouquíssima grana, semana sem final de semana, zero amores, mil dissabores e blá, blá, blá...

Eu surtei tudo o que devia, acho q não tenho mais espaço pra isso. Ainda não dei meu grito de liberdade, ainda curto uma dorzinha de cotovelo por quem não deveria, ainda quero dar uns tapas, uns beijos e tals... Mas resolvi que vou praticar o desapego. (Conselho da Ness em uma das nossas - novas - conversas filosóficas).
Estou tentando seguir meu caminho e entender que nem todo desejo se realiza. Tentando compreender que aquela conversa teve peso diferente pra nós dois. E me permitir viver outras histórias.

Desapego:
Falta de apego, de afeição. Desinteresse, indiferença.
Desprendimento diante das coisas superficiais, das vaidades em detrimento de fatos importantes e que fazem sentido a vida. Saber dividir e compartilhar.


Na última sexta eu e uns amigos do trabalho saímos pra bebemorar o final da PG2010. Fomos num barzinho abarrotado de adolescentes e já nos sentimos os tiozinhos do lugar. Eis que chegam três caras, com pinta de engenheiros (milimetricamente cheios de trejeitos, rs!) e sentam na mesa ao lado. Aí começa a sessão cenas broxantes. Eles simplesmente deram um show de como fazer uma mulher desistir de paquerá-los: fizeram origami com o papel de limpar a boca (!), brindaram cantando musiquinhas de acampamento, ficaram falando em inglês como se estivessem num pub de Londres, e o pior de todos: comeram tortinha de framboesa fazendo aviãozinho (com sonoridades) um na boca do outro. Não preciso dizer mais nada, né?
Mas, como já disse que Deus é bom, tinha uma mesa com alguns gatinhos. Olhar vai, olhar vem, mandamos meu telefone e msn pro cara que não parava de me olhar (sem falsa modéstia, só se ele for vesgo pra isso não ser verdade). Ligou duas vezes lá (ñ atendi, pq tava como "nº ]n identificado) e me add. Até agora ñ conversamos e acho quem vá rolar, mas valeu a noite. Aí estamos saindo do bar e meu amigo diz: "Ah, o nome dele e tal...". Advinha? Sim, meu karma. Todos os caras do mundo terão esse nome? Vai ser cagada lá na....
Perguntei pra Dani se Freud explica. Não. Então Shakespeare explica: "Meu inimigo é apenas o teu nome. Continuarias sendo o que és, se acaso ... tu não fosses."

E este foi o resumo do meu mês, conturbado mês...

Ai... Hoje eu to com a gota! Com um mal humor q dá até desgosto.
Sabe qdo vc só quer desligar o computador, pegar a bolsa e ir embora? E chegar em casa, deixar a bolsa num canto e dormir? Pois é...
Punk. Irritada bagaraio!
Se mais alguém vier com conversinha mole de “ai... q vc tem?” eu vou ter uma sicope!
A gente ñ tem liberdade nem pra se irritar mais! Rsrsrsrsrsrsrs!!!!!!

Eita lelê!!!!
Adoro qdo a vida dá uma guinada. Sério...

 De resto é preguiça, sono e tchau!


\o/\o/

domingo, 15 de agosto de 2010

Pedindo arrego:

PeloamordeDeus!!!!!!!!!!!!

Eu necessito de uma semana que tenha "FINAL DE SEMANA".

Com sábado e domingo disponíveis para aproveitar.

E pra quem acha que o esforço é "amor a camisa", engana-se. É desejo de um dindim mais gordinho no fim do mês...


Fazer o quê, tô looonge de ser perfeita.



*_* sono além de mim....

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Tá todo o mundo louco, oba!!!

Loucura, insensatez, estado inevitável....

Eu nem vou comentar sobre a falta de tempo para ser eu, para respirar, para TUDO.
Nem vou falar dos sonhos (instigantes) e seguidos com você-sabe-quem..
Não vou falar de nada baixo astral, nem positivo. Não hoje.

Eu quero a ausência das responsabilidades cotidianas, o silêncio, uma boa música, vinho tinto, chocolate amargo, meus livros novos... Sentar num banco na varanda, com você do meu lado e o mundo que se exploda.

E aí eu me dei por mim e o telefone estava tocando:
- ..., Juliana, bom dia!
- Viu moça, meu funcionário tá barrado e eu quero saber... (blá, blá, blá...)

Olhei no calendário e vi que hj é dia 13.
E é sexta.
Agosto. (de quem?)

Então preferi nem sonhar mais por hoje. Háhá!!





: O

terça-feira, 3 de agosto de 2010

"... quando eu me encontro perdido... tudo pede um pouco mais de calma"


Queria falar por mim, mas encontrei outras formas de dizer como estão as coisas nos últimos dias.
À parte aquela vontade imensa de "partir pra cima" - seja pra agarrar, seja pra estrangular. Afinal eu estou no extremo de tudo.

E os dias seguem. E eu também...



Capitão De Indústria - Os Paralamas do Sucesso


Eu não tenho tempo de ter
O tempo livre de ser
De nada ter que fazer
É quando eu me encontro perdido
Nas coisas que eu criei
E eu não sei
Eu não vejo além da fumaça
O amor e as coisas livres, coloridas
Nada poluídas
Ah, Eu acordo prá trabalhar
Eu durmo prá trabalhar
Eu corro prá trabalhar



Paciência - Lenine


Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida é tão rara
A vida é tão rara...

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Ah, não me acorda não, please!!!!!

Meu dia hoje foi mil maravilhas!!! Super sussa e ninguém me encheu o saco.

Achei até que tinha alcançado o paraíso.



Aí eu acordei e estava babando no meu teclado.


Ops!

É meus caros.


Juliana, bem vida ao mundo real, benhê!



*-*

Estou farta!!!

Eu quero:

• Gritar até ficar rouca;
• Chorar sem parar por uns 40 minutos
• Comer uma barra de chocolate inteirinha e sem culpa;
• Esmurrar alguma coisa. Bastante. Até ficar suada e cansada;
• Ir pro meu quarto, deitar, ligar a TV e dormir por horas;
• Ouvir Chico Buarque até me sentir mais calma;
• Não responder mais nenhuma pergunta de serviço hj;
• Não dar parecer de nada por hj;
• Não falar mais nada por hj até minha raiva passar.

Posso? Por favor, diga que eu posso?
Eu estou mto irritada. Mto. Com tudo praticamente: Corrigir erro dos outros, inventar desculpas pra não ferrar ninguém, ter que dar conta do recado e ser mal remunerada... Levar patada o tempo todo. Esperar por respostas. Esperar pelo que nunca vem!!!
Sabe o q é o pior? Ninguém se importa. Por mais que vc faça, ninguém vê o q vc fez, o qto se esforçou...
Cansei.
To tão irritada q estou com cara de quem vai matar alguém. Sou quase uma bomba-relógio...

Fui!



Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
      [protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário
      [o cunho vernáculo de um vocábulo.

Abaixo os puristas
Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis

(...)
Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.


Poética (do livro Libertinagem) - Manuel Bandeira.



(๏̯͡๏)

domingo, 18 de julho de 2010

Crise?

Ok, ainda não passou.
E sei que não vou conseguir falar sem soltar vários palavrões.
Então vou me reservar no meu direito de ficar calada. Pq eu quero que td se exploda.


Crise é quando o presente tá uma bosta e o futuro é incerto.


E sabe o que fizemos?
Fingimos que nada aconteceu, que está td lindo, rimos e tchau.
Qdo foi que eu concordei com essa palhaçada?


Frase do final de semana:
"Em terra de saci, qualquer chute é sempre uma voadora."

Será que eu aguento?

 

*♡*.¸¸.*☆**♡*.¸¸.*☆**♡*.¸¸.**♡*.¸¸.*☆**♡*.¸¸.*☆**♡*

"are we having fun yet?"




"This time I'm mistaken
For handing you a heart worth breaking!"



(How You Remind Me - Nickelback)

Quem sabe isso passa, sendo eu tão inconstante...



Argh!!!!!!
Putaqueopariu!






Mas, sabe? A-d-o-r-o ser ignorada.
Isso faz um bem pro ego que eu nem te conto! Continue, eu mereço, porque afinal, a otária aqui sou eu, né não?

Pensa em alguém que tá P da vida? Eu.
Ultimamente, a enxaqueca é a única que não me abandona. Mesmo que eu queira, do fundo do coração.
Ah! Cadê um remédio que me faça esquecer? 

Essa semana foi um rude contraste: começou como um mar de rosas e terminou num furacão. De novo.
Diz pra mim, tem como não ficar fula????
Acordei hoje numa vibe de "tudo vai dar certo, basta tentar", que por um segundo, acreditei que poderia arriscar.
Foi o que eu fiz. Again. Deixe-me ver, nos últimos quinze dias acho que fiz isso umas seis, sete vezes? Alguma deu certo, cabeça-de-pudim? Não. Então, porque cargas d'água vc vai se meter nisso????
Não sei. Acho que virei masoquista.

E se me vier com desculpinhas de novo eu mato um, juro que mato!

Há de chegar a hora em que serei forte o bastante pra lhe mandar tomar...
Mesmo que, na mesma hora eu chore e lhe peça desculpas.


Pronto, desabafei.


 "Não vou pedir a porta aberta é como olhar pra trás
Não vou mentir, nem tudo que falei eu sou capaz
Não vou roubar teu tempo, eu já roubei demais."

Fui.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Como me perco no coração de alguns meninos...

Perdi-me muitas vezes pelo mar
Com o ouvido cheio de flores recem-cortadas
Com a língua, cheia de amor e de agonia
Muitas vezes me perdi pelo mar
Como me perco no coração de alguns meninos

Porque as rosas buscam em frente
Uma dura paisagem de osso
E as mãos do homem não tem mais sentido
Que imitar as raízes sobre a terra
Como me perco no coração de alguns meninos

Perdi-me muitas vezes pelo mar
Ignorante da água
Vou buscando uma morte de luz que me consuma


Piazzoleando (Federico García Lorca)



ઇઉ
    ઇઉ
        ઇઉ 
            ઇઉ
             ઇઉ

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Levando tapa na cara com luva de pelica...

Hoje me disseram que meu discurso é incoerente. Que ajo opostamente às minhas palavras.
E aí eu pergunto, senhoras e senhores: não somos todos hipócritas? Nós todos mascaramos mta coisa, todos os dias... Lei da selva. Instinto de sobrevivência...

"No silêncio do camarim a atriz maqueia a face marcada pelo tempo. Veste mais um de seus figurinos puídos. Olha-se no espelho. Seca a lágrima insistente. Ensaia o sorriso do dia. Caminha até o palco relembrando o texto cuidadosamente escrito, próprio para aquele público. Para a pequena e fiel platéia que a espera em seu momento de diva. Sobe no palco com o pé direito e diz "merda!" bem baixinho, quase uma reza. 
Terminado o espetáculo, recebe com sincera gratidão a rosa oferecida e emociona-se com os aplausos. "Desliga-se" ao descer do palco. Segue rápido para o camarim, ávida por desfazer-se daquela personagem medíocre, tão segura e serena. Tão diferente de si. 
Bate a porta. E no silêncio escuro da sua verdade ela se permite rasgar-se. E, sendo ela, deixa aflorar toda e qualquer sensação. Cai por terra todo fingimento. A atriz volta a ser apenas uma mulher com seus sedutores mistérios."

Nem sempre sou capaz de ser assim tão sincera. Mas eu fui.
Eu queria um afago e não a verdade escancarada. Isso eu sou capaz de enxergar sozinha, trancada em meu silêncio sereno de espera.
Sou um ser que sente, percebe e, acima de tudo, procura compreender.

Mesmo num momento de crise.

E por fim, me deparo lembrando de um filme relativamente antigo, de uma cena em que ela diz:
 “Lembre-se: eu sou só uma garota, parada na frente um garoto, pedindo que ele a ame” 


Adeus!

terça-feira, 13 de julho de 2010

"120... 150... 200 km por hora"

Estou só a 200 por hora
Vou parar de pensar em você
Pra prestar atenção na estrada




Foi impossivel ver sem se emocionar. 
Foi quase impossivel não encontrar semelhanças.
É possível que eu não tenha a coragem de não deixar marcas no caminho...
Para voltar ou ser seguida.
O que for mais rápido.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Ultimato!



"Se não for pra me fazer voar bem alto, nem me faça tirar os pés do chão"





Decidida!

Ontem eu estava indecisa sobre o q eu quero no momento.
Hoje eu estou decidida. Eu quero:

  • um sorvete
  • um banho frio
  • uma fita de cetim vermelho.

Pra agora.
rsrsrs!!!!!

E nem queira saber o q farei com isso além de aproveitar até à exaustão.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Na mente: fantasias!


"Você me ligou naquela tarde vazia 
e me valeu o dia."


Ok, não foi exatamente isso. Mas se o meu "balão do pensamento" pudesse ser visto, chocaria os mais púdicos.
E eu desejo isso mais que o ar que respiro agora.

Estou indecisa entre um sorvete pra esfriar ou um café pra aquecer. Entre a TV e o travesseiro. Sobre o q levar comigo na mala e o q deixar aqui pra sempre. Sobre calar ou gritar. E, sobretudo, sobre eu e você.
Então resolvi tomar um bom vinho, ler um livro e comer chocolate.

Adeus.


quinta-feira, 1 de julho de 2010

Sem medo de lhe pertencer!

Fiz mais do que posso
Vi mais do que aguento
E a areia nos meus olhos é a mesma
que acolheu minhas pegadas

Depois de tanto caminhar
Depois de quase desistir
Os mesmos pés cansados voltam pra você
Pra você

Eu lutei contra tudo
Eu fugi do que era seguro
Descobri que é possível viver só
mas num mundo sem verdade

Depois de tanto caminhar
Depois de quase desistir
Os mesmos pés cansados voltam pra você
Pra você

Sem medo de te pertencer
voltam pra você

Depois de tanto caminhar
Depois de quase desistir
Os mesmos pés cansados voltam pra você
Pra você

Meus pés cansados de lutar
Meus pés cansados de fugir
Os mesmos pés cansados voltam pra você
Pra você


(Pés Cansados -Sandy Leah)

domingo, 27 de junho de 2010

Te adorando pelo avesso, pra mostrar que ainda sou tua.

Se eu tivesse que cantar em público esta música, também não conseguiria sem chorar, sem expor o mais íntimo do meu sentimento.
Pelo menos no chuveiro, a água corrente (do cano e dos olhos) escorre pelo ralo e se vai.



(Atrás da Porta, de Chico Buarque e Francis Hime. Por Elis Regina)


E o mais puro dos desejos - se é que isso existe - é por você. Sempre.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Sim, eu pedi, deveras!!!


Eu pedi numa oração
Ao querido São João
Que me desse um matrimônio.
São João disse que não!
São João disse que não!

domingo, 20 de junho de 2010

Maktub?

Sorte de hoje: "O amor conquista tudo"

Será?

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Isso que irradia...

Num dia em que o sentimento me dominou a tal ponto, que minhas próprias palavras não foram suficientes para descrevê-lo.
Ele que consome.
E depois some.
Assim como eu.
Adeus!


"PASSAGEM DAS HORAS"
Fernando Pessoa, poesias de Álvaro de Campos


 
(...)
E tudo isso, que é tanto, é pouco para o que eu quero.

Viajei por mais terras do que aquelas em que toquei...
Vi mais paisagens do que aquelas em que pus os olhos...
Experimentei mais sensações do que todas as sensações que senti,
Porque, por mais que sentisse, sempre me faltou que sentir
E a vida sempre me doeu, sempre foi pouco, e eu infeliz.

Não sei se a vida é pouco ou demais para mim.
Não sei se sinto de mais ou de menos, não sei
Se me falta escrúpulo espiritual, ponto-de-apoio na inteligência,
Consangüinidade com o mistério das coisas, choque
Aos contatos, sangue sob golpes, estremeção aos ruídos,
Ou se há outra significação para isto mais cômoda e feliz.

Porque, de tão interessante que é a todos os momentos,
A vida chega a doer, a enjoar, a cortar, a roçar, a ranger,
A dar vontade de dar gritos, de dar pulos, de ficar no chão, de sair
Para fora de todas as casas, de todas as lógicas e de todas as sacadas,
E ir ser selvagem para a morte entre árvores e esquecimentos,
Entre tombos, e perigos e ausência de amanhãs,
E tudo isto devia ser qualquer outra coisa mais parecida com o que eu penso,
Com o que eu penso ou sinto, que eu nem sei qual é, ó vida.

Cruzo os braços sobre a mesa, ponho a cabeça sobre os braços,
É preciso querer chorar, mas não sei ir buscar as lágrimas...
Por mais que me esforce por ter uma grande pena de mim, não choro,
Tenho a alma rachada sob o indicador curvo que lhe toca...
Que há de ser de mim? Que há de ser de mim?

Como um bálsamo que não consola senão pela idéia de que é um bálsamo,
A tarde de hoje e de todos os dias pouco a pouco, monótona, cai.

Torna-me humano, ó noite, torna-me fraterno e solícito.
Só humanitariamente é que se pode viver.
Só amando os homens, as ações, a banalidade dos trabalhos,
Só assim - ai de mim! -, só assim se pode viver.
Só assim, o noite, e eu nunca poderei ser assim!

Vi todas as coisas, e maravilhei-me de tudo,
Mas tudo ou sobrou ou foi pouco - não sei qual - e eu sofri.
Vivi todas as emoções, todos os pensamentos, todos os gestos,
E fiquei tão triste como se tivesse querido vivê-los e não conseguisse.
Amei e odiei como toda gente,
Mas para toda a gente isso foi normal e instintivo,
E para mim foi sempre a exceção, o choque, a válvula, o espasmo.

Sentir tudo de todas as maneiras,
Viver tudo de todos os lados,
Ser a mesma coisa de todos os modos possíveis ao mesmo tempo,
Realizar em si toda a humanidade de todos os momentos
Num só momento difuso, profuso, completo e longínquo.

Sentir tudo de todas as maneiras,
Ter todas as opiniões,
Ser sincero contradizendo-se a cada minuto,
Desagradar a si próprio pela plena liberalidade de espírito,
E amar as coisas como Deus.

Viro todos os dias todas as esquinas de todas as ruas,
E sempre que estou pensando numa coisa, estou pensando noutra.
Não me subordino senão por atavisnio,
E há sempre razões para emigrar para quem não está de cama.

Dói-me a imaginação não sei como, mas é ela que dói,
Declina dentro de mim o sol no alto do céu.
Começa a tender a entardecer no azul e nos meus nervos.
Vamos ó cavalgada, quem mais me consegues tornar?
Eu que, veloz, voraz, comilão da energia abstrata,
Queria comer, beber, esfolar e arranhar o mundo,
Eu, que só me contentaria com calcar o universo aos pés,
Calcar, calcar, calcar até não sentir.
Eu, sinto que ficou fora do que imaginei tudo o que quis,
Que embora eu quisesse tudo, tudo me faltou.

Meu ser elástico, mola, agulha, trepidação ...



sábado, 12 de junho de 2010

Ah... Dia do quê?


"E que a minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor e a outra metade também."

(Oswaldo Montenegro)




"Sobre o amor e o desamor, sobre a paixão,
Sobre ficar, sobre desejar, como saber te amar?
Sobre querer, sobre entender, sem esquecer,
Sobre a verdade e a ilusão,
Quem afinal é você?
Quem de nós vai mostrar realmente o que quer?
Um coração nesse furacão, ilhando onde estiver.
O meu querer é complicado demais,
Quero o que não se pode explicar aos normais.
Sobre o porque de tantos porquês,
E responder
Entre a razão e a emoção eu escolhi você!"


(O Que Nao Se Pode Explicar Aos Normais - Catedral)

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Juntando os meus pedaços...

Ai, ai, meu bloguinho abandonado!!!
Tempo atrás eu disse que estava juntando meus relatos, tentando fazê-los dar algum sentido. Como se juntasse cada parte, cada pensamento, cada conversa - e foram tantas! - que tive nos últimos tempos. Sonho, pesadelo, esperança, fé... Decisões tomadas e descartadas. Lendo minhas proprias palavras, descobri um novo "eu". E me surpreendi com ela...

Agora eu tô sem tempo. Só queria mesmo deixar algumas linhas.... Saudades da minha inspiração!! rsrs!!



"... alma transparente
Um louco alucinado
Meio inconsequente
Um caso complicado de se entender"


Mil beijos com sabor de coisa boa!!!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

"Eu que não sei quase nada do mar
Descobri que não sei nada de mim...



... Já não tenho medo de saber quem somos na escuridão"



Js.

domingo, 9 de maio de 2010

Mãe ♥

Neste dia dedicado as mães, agradeço à Deus por ter me dado uma mãe maravilhosamente especial: Amiga, companheira, exemplo de vida, porto seguro, apogeu, mãe...
À ela, todo meu amor e admiração.
Eternamente.


"A mãe será capaz de se esquecer,
ou deixar de amar algum dos filhos que gerou?
E se existir, acaso, tal mulher
Deus se lembrará de nós em seu amor!"


Js

sexta-feira, 7 de maio de 2010

"Onde haja sol..."

Há quem diga que quem anda só é melhor do que ao lado de quem não te quer bem
O meu coração está cansado de ser torturado e precisa de alguém

Vou tomar o caminho mais reto vou seguir direto até onde eu quiser
Vou levar esse amor solitário tranquilo e na boa até onde eu puder

Veja só, eu podia estar ao seu lado
Mas não deu e eu não vou ficar aqui parado

To indo pra onde haja sol
Pois o meu coração é meu lar
Se você quiser ir, pode vir já guardei seu lugar
Vamos viver tudo aquilo que ainda não vivemos
Mais uma chance pro amor, pra salvar o que ainda não perdemos


(Onde haja sol - Jorge e Mateus)

terça-feira, 27 de abril de 2010

Voltando...

Estou no meio do caminho.
Um caminho que me leva para "casa".
Para esta casa, hospedagem de meus sonhos hostis.
E no caminho de volta, à minha volta, pequenos pedaços de papel.
Contendo relatos, desejos rasgados, amores manjados que fogem de mim.
Juntando frases, que nos dê um sentido.
Mas minhas palavras sinceras são tão desconexas neste jardim!
E quando ficar coerente, quem sabe - de repente! - escrevo-as aqui...

Por enquanto, neste caminho, me restam as dúvidas.
Perguntas perdidas, desafios da esfinge que terei de cumprir.
Em busca de um começo, ou de um nobre recomeço,
eu então adormeço, sob a lua marfim...




"Quantas vezes eu estive cara a cara com a pior metade? (...)
Quantas vezes a gente sobrevive à hora da verdade?"




Bjos muitos!

sábado, 6 de março de 2010

Uma Prece...

 "Certos pensamentos são como as orações.
Seja qual for a posição do corpo,
a alma estará sempre de joelhos"






Hoje fiz à Deus uma prece. Pedi que Ele lhe cubra de bençaos. Que lhe faça feliz. Que cada dia seja para ti a chance de ser mais e melhor. Que você tenha sucesso, amor, saude, amigos e paz.
Pedi também perdão por ser humana e fraca. Por não deixar o passado no passado e lhe olhar nos olhos. E lhe abraçar como deveria - e como eu queria também.
Por fim, pedi a Ele que jogue fora meu orgulho e permita que eu possa construir entre nós uma ponte, para caminhar contigo mais uma vez.

Sobretudo, prevalece meu desejo de lhe ver sorrindo sempre.
À você o meu abraço, meu carinho e meu pedido de desculpas por não estar presente...

sexta-feira, 5 de março de 2010

"Até quando você vai ficar levando?"

Como eu já disse, tenho pensado horrores por esses dias... Parte desse processo de reflexão resultou em algumas mudanças de planos. Pára isso, começa aquilo. Essas coisas todas.
Essas mudanças não carecem de explicação, visto que é evidente que devem acontecer de dentro para fora: quanto mais eu desejo que as coisas me aconteçam, mais eu devo me moldar para que isso seja possivel. E ponto final. Cansei de explicar tudo que resolvo fazer ou deixar de fazer.
Parei e vi que minha vida tá no avesso do avesso. E isso tem seu lado bom e ruim. Só não sei ainda qual parte prevalesce.

(Até Quando? - Gabriel O Pensador)

"Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente


Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro"


Decidi que não ficarei com as mãos nos bolsos enqundo levo uns tapas da vida...
Sei que perdura em mim um ímpeto de partida. Tenho mentalmente arrumado as malas e dizendo tchau. E continuo à espera, à espreita. Como se a qualquer momento... A primordial mudança fosse realmente acontecer.


Js ઇ‍ઉ

quinta-feira, 4 de março de 2010

Sessão agradecimento.

Hoje eu quero começar este post com um sincero agradecimento.
Quero agradecer a minha grande multidão de - humm... - 3 leitores? Haha!

Falando sério, quero agradecer a Lu do blog "Armazém da Lu", por seus comentários, incentivos e conselho para não socar a cara de ninguém. (É, eu tô me comportando como uma boa menina. A vontade já passou). Brigada Lu. Adoro seu blog! Me vejo em muitas de suas palavras.

E, o agradecimento da noite, pra Ness... Uma amiga muito querida. Que sofre as mesmas paranóias que eu. Que me distrai das minhas neuras com nossos papos "by malhação" (rá! adoro!!). Que me dá um oi, um conselho, uma ajuda e um puxão de orelha todas as manhãs. E que prova, com sua distante presença, que amizade de verdade resiste a muitas coisas: distancia, falta de tempo, tempos sem se ver, etc... Brigada meeesmo Pekenina! Mais uma vez agradeço a Deus pela nossa amizade. Nossa conversa de ontem (via sms!!) foi um banho de realidade. Continue me gorando que eu tbm vou te gorar!!!! (para quem ñ entendeu, esse é nosso jeito de dizer: "boa sorte", "tô contigo e não abro", "merda" essas coisas... rsrsrs!!!)

Bom, achei que seria mais legal agradecer a visita da Lu, aqui. E quis reconhecer em público que a Ness tem ouvido (atraves da sua leitura, rs!) todos os meus gritos, me acalmado e me feito enxergar a direção certa de algumas trilhas que peguei... Mas não sou hipócrita... Tem mais pessoas que deveriam ser citadas aqui. Só não quero correr o risco de ser injusta. Se você é minha amiga ou meu amigo, com certeza vê em meus olhos o quanto é importante em minha vida! Não se esqueça disso!!!

Acho que tá bom de agradecimentos, né?
Sintam-se beijados e abraçados.

Fui...

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Devaneio à meia noite...

Espero a chuva cair
Na minha casa, no meu rosto
Nas minhas costas largas

Espero a chuva cair
Nas minhas costas largas
Que afagas enquanto durmo


(Enquanto durmo - Zélia Duncan)


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Poesia de todos os dias...

Se te pareço noturna e imperfeita
Olha-me de novo. Porque esta noite
Olhei-me a mim, como se tu me olhastes.
E era como se a água
Desejasse

Escapar de sua casa que é o rio
E deslisando apenas, nem tocar a margem.

Te olhei. E há tanto tempo
Entendo que sou terra. Hà tanto tempo
Espero
Que o teu corpo de água mais freterno
Se estenda sobre o meu. Pastor e nauta
Olha-me de novo. Com menos altivez.
E mais atento


Dez Chamamentos Ao Amigo - I
Hilda Hilst

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

"Ó abre alas!"

O que seria de mim sem o Carnaval? Rá! Quem lê pensa que o "samba Juliana" não se aplica a mim. Mas não se trata disso. Foram quatro dias de descanso e diversão, dentre outras coisas que me fazem amar feriados...
A galera reunida disparou para Cordeiro. Muito sorvete de tangerina, muitas - mas muitas meeesmo - risadas, palhaçadas, mancadas, etc... rs! Assisitimos desfile, dançamos ao som do trio - aff! - passeamos pacas e, como ninguém é de ferro, teve até umas biritas para baixar o calor e aumentar o fogo. O que, para um grupo de solteirões, deveria surtir algum efeito. Mas não... Tudo como era antes, na "santa paz"! Ô povo que embromeia!!!
Mas foi um fim de semana maravilhoso de confidencias, surpresas e suspiros.
E como a saudade aperta, a vontade grita e já que somos jovens e temos que curtir (palavras do meu pai, quem diria! rs!) na segunda fizemos um bate volta pra Cordeiro de novo.
Nunca fui ligada em desfiles e essas coisas, mas tenho que admitir que quando ficamos de frente com a bateria a energia que ela emana contagia. Ele é sem dúvida o coração das escolas e faz o nosso bater no seu compasso...
E só pra variar um pouquinho, meu pobre coração apertado, disparado, desvairado, meu olfato aguçado, minha cabeça girando (será que era só a dose ou a proximidade também?) e minhas mãos ávidas, insanas, que possuem vida propria (graças à Deus!) e que não me deixam quieta... ai, ai!
Terça-feira, de bobeira, passei a tarde numa livraria - que sonho! - cheiro de livro novo e mais uma lista dos proximos que irei comprar. À noite, filme e a galera reunida outra vez pra falar bobagem e aproveitar o feriado até o último minuto.
Meu Deus me ajude a não perder a razão. Falta pouco.
A quarta-feira de cinzas trouxe consigo a consciencia do mundo real. E do fato de estarmos num tempo de recolhimento, de entrega. De pensar mil vezes. E é isso que tenho feito: pensado!

Mas também não muito... rs!

Neste fim de semana, todas as homenagens eram para meu irmão, pela ocasião da sua formatura. Ou seja, Margueritas na sexta, Cervejinha, Vinhozinho, Whiskynho, Vodkazinha e muuuiiiita Coca-Cola pro "figo" não ir pro espaço no sábado! rsrsrs!!!
Domingão, almoço com os amigos, ensaio, bagunça na casa dos amigos pra depois terminar no aconchego do meu lar, na tranquilidade do meu travesseiro, com meu sono de pedra e meus sonhos tortuosos - clichê, de novo.
E hoje, mais uma segunda de labuta, silencio e amém!



Saudades do meu nariz a centimetros do seu pescoço, seu cheiro me invadindo inteira. Saudade do toque quente das suas mãos em mim. E de ouvir baixinho, arrastado junto a meu ouvido, o som do seu riso.
Eu sonhei ou isso realmente aconteceu?





"Mais uma dose? É claro!
É claro que eu tô a fim
A noite nunca tem fim
Por que quê a gente é assim?

Agora fica comigo
E não, não
Não desgruda de mim
Vê se ao menos me engole
Não me mastigue assim..."

(Por que a gente é assim? - Barão Vermelho)



Simbora!!
=)

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

"Me dê a sua mão e o seu amor, e o seu amor!"

O título deste post é o comecinho de uma música da Ivete, do show do Maracanã... Eu ia falar do Carnaval, mas comecei ver uns videos aqui e resolvi mudar de assunto. Vou falar de algo "novo". Hahaha!!! Até parece. O título foi só um pretesto. Ele é um grito que ficou engasgado por esses dias... E que eu, obviamente, reprimi para gritá-lo aqui: no silêncio das minhas palavras não ditas, escritas e esquecidas.
Os videos são esses aí...


(Catedral - O que não se pode explicar aos normais)


(Nando Reis - Pra você guardei o amor)



Todos os afagos do mundo... São seus.



Js

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Pra dizer adeus, sem dizer jamais!

Então passou mais um tempo e este tempo eu vivi! Haha, frasezinha piegas pra começo de post, hein? Minha criatividade está baixa hj...
Bom, vamos aos fatos. Janerão: férias, praia, sorvete, longas caminhadas na chuva e todas estas coisas que a gente faz pra aproveitar o tempo. Eu até arrumei meu quarto e plantei uma pequena horta em meu quintal. (Ai que orgulho! rsrsrs!!!)
Se eu disser que as feridas se curaram, vou estar mentindo e isso é terrível. Mas tenho cumprido minha promessa de ano novo e não estou sucumbindo às minhas dores e isso é muito, mas muito bom mesmo.
Aí veio fevereiro e com ele, um mar de realidade. Volta ao trabalho, a faculdade e a todo aquele blá, blá, bla de sempre. Ou seja, estressante. Quanto tempo uma pessoa consegue refrear o impulso de socar a cara de outra? Eu preciso saber quanto tempo eu tenho antes de perder meu controle. Acho que será daqui a pouco. Ou não, talvez eu aguente mais um pouquinho...
Sabe, a verdade é que ultimamente eu não tenho suportado a saudade. Tenho saudade da amiga que era como uma irmã mais velha pra mim. E, sobretudo, sinto falta da amiga que era como uma irmã mais nova para mim. Tenho sonhado com isso esses dias... É avassalador o ponto em que as coisas chegaram. Eu queria ser digna o bastante para pôr uma pedra por cima disso tudo e começar do zero, sem desculpas, sem culpados. Como eu fiz para poder continuar a ser "a" amiga da "razão do meu afeto".
Essa semana foi mto decisiva para mim. Dei as costas à um destino que eu mesma tracei para mim. E dei inicio à outros projetos. Eu queria poder contar, de modo que tudo ficasse mais palpável, mas ainda é cedo para isso... Com tudo, passei a semana um tanto deprimida com o peso das minhas escolhas. O silencio me perturba, o vazio me perturba e a espera me perturba ainda mais... Tava tão à flor da pele que só a voz do meu pai me acalmou. (Deus! Obrigada por isso).
Mas a historia não pára por aí. Mais sonhos, e aquele arrepio que percorre minha pele. É tudo tão palpável nos meus sonhos, que eu até confundo a realidade. Desvairada pego o celular, queria ter uma desculpa convincente, só pra ouvir sua voz ou o som do seu sorriso... Nem tudo está ao meu alcance e me contentei em escrever... e no meio do dia ele me chama de "Jujuba" e meu mundo desaba... Esse apelido é "amigável" demais, fica evidente qual é o meu lugar na historia. De lá pra cá não tenho contido as lágrimas. E o nervosismo com o que me espera neste carnaval só tem piorado a situação.... Argh! Porque tem que ser tão dificil? Esquecer é um tormento, apagar minhas lembranças é impossivel e amá-lo - apesar de tudo e todos - é minha sentença, é enlouquecedor!!!!! A todo momento eu tento impelir o impulso de tocá-lo, de não cair de joelhos, de não surtar! Ninguém pode ser assim tão controlada, pode?
E o resultado disso tudo é que são quase três da manhã e eu estou aqui, tentando distrair minhas vontades... Que merda.

Desabafo feito, agora vou dormir. Afinal, tenho um feriadão batendo à minha porta. Fazer o quê? Bora curtir!
E pra terminar bem mais piegas do que comecei, aí vão duas músicas do - pasmem!!! - Junior Lima. Pois é. Eu sou brega sim e adoro!


"Será que o tempo apaga
O que foi dito e o que não foi?
Será que tudo mostra nosso caminho?
Mas se não for, a gente segue em frente
E o mundo olha por nós
E a gente segue em frente

E talvez não seja assim tão fácil
Talvez assim seja melhor
Talvez cada um reme pra um lado
Mas os mares que te cercam
Talvez sejam iguais aos meus
E a gente segue em frente"
(Segue em frente)



"Sou só mais alguém querendo encontrar
a minha própria estrada pra trilhar,
apenas alguém querendo encontrar,
(a minha própria forma de amar)
não é fácil,
e não é fácil viver
viver,
assim."
(Super-Herói (Não é fácil))


Um beijo no coração de cada um.
:)

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Feliz Ano Novo!!!

Olá!

Passei um tempão procurando um video que tivesso o audio de um poema do Drummond que eu gosto muito e acho perfeito para o dia de hoje, pelo que comemoramos nesta data... Infelizmente, este poema não foi usado em vinhetas de "Feliz 2010", então vou me dar por vencida e postar com feliz 2008 mesmo. Porque o que importa são as palavras do poeta, que traduzem meu mais sincero sentimento:

"Receita de Ano Novo" - Carlos Drummond de Andrade
(Vinheta da EPTV - 2008, narrado por Lima Duarte)



E pra encerrar o post de hoje, uma música que toca em todas asmissas de fim de ano e que, não adianta, eu choro mesmo quando ouço:

"Marcas do que se foi" - Os Incriveis




"É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre."



Até breve. Um 2010 cheio de coisa boa pra todos!!
Um forte abraço, Paz e Bem!