terça-feira, 11 de março de 2008

Dizer ou não dizer... Eis a questão!!

Existe algo muito importante a ser dito. Mas as palavras não vêem à boca. Sons inaudíveis. Palavras desconexas...
O que sente é tão forte que verbalizá-lo seria inútil, talvez.
O medo é maior do que o querer.
E o que é a fala quando se tem o toque, os olhos, a poesia, a personificação do sentimento?
Sentí-lo e vivê-lo são opostos estranhamente atraentes.
Pois bem. Não tem coragem? Obrigue-se a adquiri-la. Faça disso um propósito. Se lançar é mais difícil do que pensas... Porém, o resultado pode ser surpreendente. Mas é necessária a ação. Caso contrário não haverá resultados. Fica como está.
Isso é bom? É o bastante?
Até que ponto vale a pena investir em algo que está fadado a não acontecer?
Até quando será assim? Vale a pena pagar esse preço?
Martirizar a situação não faz dela algo realizável. E prender-se à isso é burrice!
A partir do momento que se tem um propósito, afunde-se nele até as últimas consequências. Ou desista dessa ideia e leve a vida de outra forma.
Desistir nem sempre é sinal de fraqueza. Por vezes, torna-se um ato estratégico de inteligência...
Talvez não seja capaz de dizer com palavras, visto que é toda ela entrelinhas...
Ouça essa voz que clama pelos corredores: é o seu nome que ela está chamando.
Estenda sua mão. Ofereça a ela reciprocidade.
Ou a faça entender que seu caminho fica do outro lado da estrada.
E ela irá. sem pretensão de voltar...



"Vivo num 'clip' sem nexo
Um terror retrocesso
meio bossa nova e 'rock'n roll'
Faz parte do meu show
Faz parte do meu show, meu amor!"
(Cazuza)


Jsoares, 07/03/2008

Um comentário:

Daniela disse...

Suas palavras se resume em tudo o que eu sinto agora!

Situações diferentes ... sentimentos iguais! Né?

Coragem flor de maracuja!! Faça o que seu coração mandar

Dor ru - Dor ru!